quinta-feira, outubro 16, 2008

Dia Mundial da Alimentação

Todo ano, em 16 de outubro, cerca de 150 países celebram o Dia Mundial da Alimentação.

O dia 16 de Outubro foi escolhido como Dia Mundial da Alimentação porque neste dia, em 1945, foi criada a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), cujo objetivo é elevar os níveis de nutrição e desenvolvimento rural. Há 28 anos que a data é celebrada.

Os objetivos do Dia incluem:

1. estimular uma maior atenção à produção agrícola em todos os países e um maior esforço nacional, bilateral, multilateral e não governamental para esse fim;

2. estimular a cooperação econômica e técnica entre países em desenvolvimento;

3. promover a participação das populações rurais, especialmente das mulheres e dos grupos menos privilegiados, nas decisões e atividades que afetam suas condições de vida;

4. aumentar a consciência pública da natureza do problema de fome no mundo;

5. promover a transferência de tecnologias ao mundo em desenvolvimento;

6. fomentar mais o sentido de solidariedade nacional e internacional na luta contra a fome, a má nutrição e a pobreza e chamar à atenção os êxitos conseguidos em matéria de desenvolvimento alimentar e agrícola (FAO, 2008).

Este dia constitui uma oportunidade para os países refletirem sobre a segurança alimentar e nutricional, num momento em que, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), cerca de 923 milhões de pessoas passam fome em todo o mundo (CONSEA, 2008).

Segundo Renato Maluf, que trabalha com multifuncionalidade da agricultura e desenvolvimento territorial sustentável, esclarece que “segurança alimentar e nutricional engloba um conjunto de questões que recobrem desde o acesso à terra e à água, o fomento à agricultura familiar e a valorização da biodiversidade, até a recuperação da capacidade reguladora do Estado, as ações de acesso à alimentação saudável e a ampliação de ações estruturantes e emancipatórias” (CONSEA, 2008).

Diversos países se programam para atividades na semana do Dia da Alimentação.

No Brasil, mais de 200 atividades estão acontecendo. O Ministro do Desenvolvimento e Combate à Fome, Patrus Ananias, participou quarta-feira, em Brasília, no Seminário “Os desafios da segurança alimentar e nutricional e as respostas do governo brasileiro”, onde também falou o representante da FAO no Brasil, José Tubino, sobre a situação mundial de crise simultânea em várias frentes: alimentos, energia, econômica e ambiental. Além de “uma crise de valores, do materialismo e do consumo exagerado” (MDS, 2008).

São Tomé e Príncipe foi outro dos países CPLP que trabalhou esta temática na semana.

Decorreu no Palácio dos Congressos, entre os dias 8 a 10 de Outubro, o “Seminário sobre a Segurança Alimentar e Nutricional, Direito Humano, Alimentação Adequada e Soberania Alimentar”, iniciativa conjunta da Federação das ONG's em S. Tomé e Príncipe (FONG) com o Governo de São Tomé e Príncipe, sobretudo o Ministro de Agricultura que se engajou imediatamente para trabalharem em parceria no
desenvolvimento do evento. Aspectos fundamentais do Seminário incluíram o aproveitamento das potencialidades existentes em S. Tomé e Príncipe, a definição da estratégia de alimentação no País, bem como os procedimentos a bom senso para serem adequados. Destacou-se o trabalho em grupos
para a definição dalguns eixos principais, estratégias para a formulação posterior da estratégia nacional sobre a segurança alimentar nutricional.

S. Tomé e Príncipe é um país extremamente rico que permite fazer colheita, muitas vezes sem produzir, tem a fruta-pão, a matabala, o búzio, a jaca, pessoas que vão ao mar pescar, permitindo a população ter alimentos para 'sobreviver', sem ainda assim o seu direito à alimentação estar satisfeito. Tem grupos muitos vulneráveis e que ainda têm problemas de alimentação inadequada.

A FONG referiu ser importante incluir camponeses, as pessoas que fazem a transformação dos produtos, aos pescadores, aos palaiês, aos que contribuem de uma maneira direta ou indireta no processo de segurança alimentar (Jornal Tropical, 2008).



Referências bibliográficas:

CONSEA (2008). Disponível em: https://www.planalto.gov.br/Consea/static/eventos/semana_2008/Semana_2008.html

FAO (2008). Disponível em: http://www.fao.org/getinvolved/worldfoodday/worldfoodday-about/es/. Acesso em 16 out. 2008.

JORNAL TROPICAL (2008). Disponível em: http://www.jornaltropical.st/visao.htm. Acesso em 16 out. 2008.

MDS (2008). Disponível em: http://www.mds.gov.br/noticias/201cos-pobres-nao-podem-pagar-a-conta-da-crise-financeira201d-afirma-ministro-patrus-ananias. Acesso em 16 out. 2008.

segunda-feira, outubro 06, 2008

Escritor moçambicano discute “O papel da escrita no combate à pobreza”

Na passada sexta-feira, dia 3 de Outubro de 2008, no município da Matola, Moçambique, foi organizada pela Associação dos Escritores Moçambicanos (AEMO) uma palestra subordinada ao tema “O Papel da Escrita no combate à pobreza”, no âmbito das celebrações do 4 de Outubro, Dia da Paz.

Nela participaram Ungulani Ba Ka Khosa e Lucílio Manjate, escritores moçambicanos. A iniciativa vem no escopo da pesquisa e divulgação da literatura moçambicana, bem como da sua importância nas várias frentes que dizem respeito à vida de toda sociedade, ao mesmo tempo em que a AEMO pretende reafirmar o seu compromisso face aos desafios que se impõem a Moçambique.

No blog “Moçambique para todos” pode encontrar-se uma síntese da biografia e dos trabalhos de ambos os escritores aqui citados.

Fonte: http://macua.blogs.com/moambique_para_todos/2008/10/ungulani-fala-d.html?cid=133562381#comment-133562381

quarta-feira, outubro 01, 2008

Acordo ortográfico dos países de língua portuguesa assinado pelo Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta segunda-feira, dia 29 de Setembro de 2008, os quatro decretos que promulgam o acordo ortográfico dos países de língua portuguesa e que estabelecem o prazo para a adequação da nova ortografia no Brasil até 2012.

Lula destacou que a celebração do acordo ortográfico fortalece os laços dos países lusófonos e aumenta no mundo a presença da língua portuguesa e das literaturas no mesmo idioma. Admite a existência de um significado estratégico no que diz respeito à cooperação dos países.

Segundo o presidente, a circulação de obras literárias no mundo lusófono poderá ser incrementada a partir da "adequada padronização da língua escrita". O acordo entrará em vigor no Brasil a partir de janeiro de 2009 e será introduzido nos livros escolares em 2010, de forma gradual, para se tornar obrigatório em 2012.

O Projeto de Educação Ambiental na CPLP, concebido a partir do reconhecimento dos Ministros do Ambiente dos oito países de que o enfrentamento das mudanças sócio-ambientais globais precisa ser assumido de forma conjunta, tendo inclusive elegido temas prioritários para a plataforma de cooperação trabalhar, tem uma meta diretamente relacionada com “o intercâmbio de informações por meio eletrônico, por correspondência, por meio de cessão de material técnico-informativo e bibliográfico, e pelo compartilhamento de sistemas de informação”.

Encontra-se na fase de seleção do que pode constituir material pedagógico para as estruturas educativas (Salas Verdes/ Centros de Educação Ambiental) nos países, respeitando o intercâmbio de títulos entre os países, a escolha democrática e eqüitativa de materiais que atendam às realidades sócio-culturais-ambientais locais, para se ter a leitura da comunidade unida pelo mesmo idioma mas tão diversa.

Fonte: http://macua.blogs.com/moambique_para_todos/2008/09/lula-assina-dec.html